10 carros inspirados na mitologia grega, separados por um grego

Carros que talvez você ainda não conhece.

Você sabia que existem carros inspirados na mitologia grega?

Então, omear um novo modelo de carro é um desafio e tanto! É um processo legalmente complexo, com questões de registro de marca, e encontrar nomes verdadeiramente originais é cada vez mais difícil.

Os nomes gregos têm sido uma escolha popular na história automotiva. Afinal, é pouco provável que algum deus entre com um processo por direitos autorais! Além disso, esses nomes muitas vezes conferem uma aura mítica aos carros, até mesmo aos mais simples.

Aqui estão 10 carros, em ordem cronológica, que adotaram nomes gregos ou adaptaram um para se encaixar em uma convenção de nomeação existente. Prepare-se para mergulhar no mundo de carros inspirados na mitologia grega!

Leia mais: Vai comprar carro usado? 3 coisas que você precisa saber antes

Carros inspirados na mitologia grega

TVR Cerbera 1996

O terceiro modelo lançado pela TVR durante a gestão de Peter Wheeler foi o Cerbera.

Ele recebeu o nome de Cerberus, o cão de várias cabeças da mitologia grega que guardava os portões do submundo.

O Cerbera pesava apenas 1100kg (2425lb) e foi o primeiro modelo da TVR com teto rígido. Também foi o primeiro carro da marca com espaço para dois passageiros atrás, embora fosse bem apertado.

Este modelo marcou a primeira vez que a TVR produziu seus próprios componentes mecânicos, incluindo o motor V8 AJP8 projetado por Al Melling, disponível em versões de 4,2 ou 4,5 litros.

Ford Taurus 1986

Em 1986, a Ford lançou o Taurus, um modelo que fazia referência à mitologia grega, onde Taurus era identificado com Zeus, o pai dos deuses.

Nos termos da Ford, o Taurus era um carro familiar de médio porte fabricado nos EUA entre 1986 e 2019.

Em sua primeira versão, o Taurus foi um marco para a Ford, introduzindo uma série de novos recursos e inovações no mercado.

Mas, até o final dos anos 90, as vendas declinaram à medida que enfrentava a concorrência de rivais japoneses de porte médio – a produção encerrou em 2006.

Em 2007, a Ford reintroduziu o distintivo Taurus em um sedã de tamanho completo, baseado na plataforma D3 derivada da Volvo, com opção de tração dianteira ou integral.

Leia mais: 9 nomes masculinos inspirados na mitologia grega cheios de poder

TVR Chimaera 1992

Na mitologia grega, Quimera era um monstro com cabeça de leão e cauda de serpente que cuspia fogo.

Quando o chefe da TVR, Peter Wheeler, escolheu o nome, ele capturou a essência de seu novo carro esportivo de dois lugares lançado em 1992.

Baseado no chassi do modelo Griffith, o Chimaera usava os mesmos componentes mecânicos do motor Rover V8, com capacidades variando de 4 a 5 litros.

Projetado mais para passeios, o Chimaera tinha suspensão totalmente independente com molas helicoidais.

Citroën Xantia

Inspirado na palavra grega “Xanthos”, que significa dourado ou loiro, Xantia foi o nome escolhido pela Citroën para seu carro de médio porte, rivalizando com o Mondeo da Ford e o Vectra da Vauxhall/Opel.

Com a suspensão hidropneumática da Citroën desde o lançamento, os Xantias mais avançados também tinham o sistema Hydractive, que ajustava a suspensão de acordo com as condições da estrada.

Em 1994, o modelo top de linha Activa recebeu barras estabilizadoras ativas, eliminando a inclinação nas curvas.

Lancia Kappa 1994

O nome Kappa foi escolhido pela Lancia para seu substituto do Thema em 1994, representando a 10ª letra do alfabeto grego.

O Kappa era um sedan ou perua de porte médio, vendido apenas em mercados de direção à esquerda.

Embora não muito marcante visualmente, vinha com uma variedade de motores, incluindo cinco cilindros de 2 litros (naturais e turbo), um V6 de 3 litros e duas opções de motores a diesel de 2,4 litros.

Leia mais: Comissária de bordo revela qual a mala de viagem ideal para você

TVR Typhon 2000

 

Nomeado após o irmão mais novo dos titãs da mitologia grega, o TVR Typhon foi o título eventualmente dado ao carro de produção da empresa concebido para homologar o carro de corrida GT1 da TVR.

Construído sobre uma plataforma completamente personalizada, com uma carroceria leve de fibra de carbono e assoalho de alumínio, o Typhon começou como o T400R/T440R e, em um ponto, se transformou em um protótipo supercharged com 600 cavalos de potência.

No entanto, apenas dois Typhons de produção genuína saíram da fábrica, cada um deles equipado com um motor Speed Six c380bhp padrão do modelo Tuscan S.

Lancia Thesis 2001

O nome Thesis, em homenagem à deusa grega da criação, foi escolhido pela Lancia para seu carro de luxo lançado em 2001.

Baseado no conceito Diàlogos da Lancia, o Thesis foi revelado no Salão de Genebra de 2001.

Substituindo o Kappa, ele competia com o Audi A6 e o Mercedes-Benz Classe E, oferecendo estilo italiano e um preço mais baixo em relação aos rivais alemães, com desconto de até 15%.

Os motores disponíveis eram de 2 a 3,2 litros a gasolina e uma unidade diesel de cinco cilindros e 2,4 litros.

Leia mais: Até 18 km/L! Os 5 carros flex mais econômicos do Brasil em 2024

Volkswagen Phaeton

Na mitologia grega, Phaeton era filho do deus do sol, Hélio, mas no século XIX era um elegante coche puxado por cavalos.

Ferdinand Piëch, chefe da VW, provavelmente pensou nisso ao nomear o super-sedã da marca.

O Phaeton foi criado para competir com Mercedes-Benz e BMW, e era conhecido por sua tecnologia avançada, capaz de rodar a 300km/h em temperaturas extremas, mantendo os ocupantes confortáveis.

Seu motor mais potente era o novo W12 de 6 litros do Grupo VW, também usado no Bentley Continental GT.

Gumpert Apollo 2005

Esta é a segunda vez que o nome do deus grego da arqueria e da música é usado, mas desta vez para algo um pouco mais exótico.

Roland Gumpert concebeu o conceito de um carro de corrida para as estradas, e o Apollo foi o único modelo produzido na fábrica alemã da Gumpert, antes de ele declarar falência em 2013.

Um clássico hipercarro de dois lugares e motor central, o Gumpert Apollo tinha uma carroceria de fibra de vidro ou fibra de carbono e pesava tão pouco quanto 1100kg (2425lb).

Seu motor Audi V8 produzia quase 800cv e podia levar o Apollo a uma velocidade máxima declarada de 224mph. Sem dúvida, um dos mais chiques carros inspirados na mitologia grega.

TVR Sagaris 2005

Peter Wheeler, da TVR, escolheu o nome “Sagaris”, um machado de batalha leve usado pelos citas, para seu último modelo antes de vender a empresa.

Apresentado no salão do MPH motor em 2003, criaram o TVR Sagaris para corridas de resistência, sem precisar de modificações para resfriamento em uma pista.

O Sagaris tinha um chassi de aço tubular e uma carroceria compacta de fibra de vidro para dois lugares, com o motor Speed Six de 4 litros da TVR.

Leia mais: Até 18 km/L! Os 5 carros flex mais econômicos do Brasil em 2024

Volkswagen Eos 2006

Dado a capacidade conversível deste VW, recebeu seu nome da irmã do deus grego do sol, Helios, e da deusa da lua, Selene.

O Volkswagen Eos, baseado no Golf Mk5, se destacava no mercado como o único cupê conversível com teto rígido retrátil, cujo teto de cinco peças vinha com um teto solar integrado e deslizante independentemente.

Todos os modelos tinham tração dianteira. Além disso, tinham uma variedade de motores transversais, com capacidades que variavam de 1.4 a 3.6 litros.

Então, agora você conhece os carros inspirados na mitologia grega!

carrosmitologia grega