Europa

6 Curiosidades Sobre O Mosteiro Dos Jerónimos Em Lisboa!

6 Curiosidades Sobre O Mosteiro Dos Jerónimos Em Lisboa!
By     -   On

O Mosteiro dos Jerónimos é uma jóia arquitetônica cheia de curiosidades e com mais de 500 anos de história impressionante.

Situada no bairro do Belém, a construção gigante é um dos pontos preferidos de Lisboa.

Além disso, representa uma época importante na história do país.

Inclusive, não há viagem a Lisboa sem conhecer a freguesia de Belém.

Aliás, caminhar pelo bairro é desfrutar de atrações historicamente importantes! Por exemplo, a Torre de Belém, o Padrão dos Descobrimentos, o Museu Coleção Berardo e o Observatório de Belém.

Porém, de todas estas atrações, o Mosteiro dos Jerónimos é, facilmente, uma das mais belas obras de arquitetura de Portugal.

Além disso, com sua longa história, conta muito sobre o próprio desenvolvimento político do país.

A história do Mosteiro dos Jerónimos

Mosteiro dos Jerónimos em Lisboa, o que você deve saber antes de ir.

Antes de mais nada, a idealização do Mosteiro dos Jerónimos começou no final dos anos 1400, mais precisamente em 1496, sob ordens do rei D. Manuel I.

O monarca estava empolgado com a Era dos Descobrimentos e o retorno de Vasco da Gama após viagem de sucesso à Índia.

Então, o rei pediu autorização ao Papa para construir um grande mosteiro na costa de Belém, um gesto de agradecimento à Virgem Maria.

Segundo ele, a santa havia guiado os viajantes em segurança.

Após a autorização, a construção do Mosteiro dos Jerónimos teve início, na área da igreja de Santa Maria de Belém.

Inclusive a área era refúgio de monges e marinheiros e assim continuou sendo, mesmo após o término da construção.

A obra foi financiada pelo dinheiro arrecadado com as importações estrangeiras.

Além disso, a construção desenrolou-se durante os anos 1500, começando em 1501 e terminando exatamente 100 anos depois.

Outro detalhe é que o projeto arquitetônico é majoritariamente influenciado pelo estilo manuelino. Porém, há a presença de outros estilos, como o renascentista.

Ainda, por ter como inspiração as viagens marítimas da Era do Descobrimento, a decoração incorporou âncoras, cordas, símbolos marítimos e religiosos.

Após um século de construção, o mosteiro foi finalmente inaugurado em 1604.

Além disso, os monges escolhidos para residirem no mosteiro pertenciam à ordem religiosa dos Jerónimos. Portanto, já dá para entender a origem do nome do mosteiro.

Mosteiro dos Jerónimos em Lisboa, o que você deve saber antes de ir.

Vale mencionar que a construção deste mosteiro foi um dos maiores acontecimentos religiosos da época.

Por isso, muitas ordens procuraram a monarquia em busca de ocupar o espaço quando pronto! Porém, a Ordem de São Jerónimo foi a escolhida.

Mas sempre tem um porém…

Mas, como não existe almoço grátis, em troca, os monges deveriam orar diariamente pelo Príncipe Henrique, o Navegador.

Também, pelo rei da época e todos aqueles que ocupassem o trono português.

Sem falar nas orientações espirituais aos marinheiros.

Por fim, devido ao significado cultural e arquitetônico, o Mosteiro dos Jerónimos foi classificado como Patrimônio Mundial da UNESCO em 1983.

Curiosidades sobre o Mosteiro dos Jerónimos

Curiosidades sobre o Mosteiro dos Jerónimos em Lisboa, o que você deve saber antes de ir.

Com tantos anos de história, muita coisa já se passou nos interiores do Mosteiro dos Jerônimos.

Aqui, trouxemos algumas curiosidades sobre uma das principais atrações turísticas de Lisboa.

1. A receita dos pastéis de nata nasceu aqui

Curiosidades Mosteiro dos Jerónimos em Lisboa, os pastéis de nata nasceram no mosteiro.

Os emblemáticos pasteizinhos de Belém foram criados pelos mesmos monges que viveram no mosteiro.

Embora a venda de pastéis de nata tenha seus primeiros registros na década de 1830, a receita foi desenvolvida mais de 100 anos antes disso.

Naquela época, as freiras e monges do mosteiro usavam uma grande quantidade de claras de ovo para engomar suas roupas.

Então, as gemas restantes deram espaço para a criatividade e se tornaram o ingrediente chave da receita.

2. Várias personalidades estão enterradas no Mosteiro

O Mosteiro dos Jerónimos abriga os restos mortais de D. Manuel I e ​​ família. Assim como de outros monarcas da Casa de Aviz.

Além disso, muitos escritores portugueses famosos também estão enterrados aqui, incluindo Fernando Pessoa e Luís de Camões, além de Vasco da Gama.

3. O nome “Mosteiro dos Jerónimos” é um apelido

O verdadeiro nome do monumento é Mosteiro da Santa Maria de Belém (lembra da igreja?).

Mas leva a alcunha de “Os Jerónimos”, em razão da ordem dos monges que moravam ali.

4. O mosteiro é o maior exemplo do estilo manuelino

O Mosteiro dos Jerónimos é considerado um dos melhores exemplos da arquitetura gótica manuelina.

Inclusive, toda a fachada apresenta detalhes esculpidos em pedra calcária. Isso somado a uma sinfonia de símbolos que, como mencionamos, remetem à era das navegações.

5. O Grande Terremoto de 1755 deixou poucos danos

O Mosteiro dos Jerónimos foi um dos poucos edifícios de Lisboa que resistiram ao Grande Terremoto de 1755.

A construção escapou com leves danos que foram reparados facilmente após o evento.

6. O Mosteiro dos Jerónimos é uma das Sete Maravilhas de Portugal

Sete maravilhas de Portugal, Mosteiro dos Jerónimos e Torre de Belém.

Por fim, existe realmente uma lista oficial das Sete Maravilhas de Portugal!

Ela inclui locais históricos importantes para a cultura e história do país.

Duas das sete maravilhas chamam Lisboa de lar: o Mosteiro dos Jerónimos e a Torre de Belém.

O Mosteiro dos Jerónimos é aberto para visitação.

Além do mais, o passeio é pago, com preços diferenciados para crianças, idosos e estudantes.

No entanto, a capela principal tem entrada gratuita.

LEIA MAIS:  Bate E Volta De Lisboa: 12 Opções Imperdíveis! CONFIRA!

Brazil Greece

Equipe de redatores com foco na produção de conteúdo relacionado a viagens, saúde, cultura, curiosidades e dicas em geral. Temos no nosso time profissionais gregos que compartilham com vocês assuntos da Grécia e da cultura grega, como comidas, receitas, tradições, além de assuntos relacionados à Grécia Antiga e à Mitologia Grega.