Olímpia: Conheça a Poderosa Mãe de Alexandre, o Grande!

Conheça aqui a mãe de Alexandre, o Grande!

Olímpia (375-316 aC) era a filha mais velha do rei Neoptólemo I de Épiro e a quarta esposa de Filipe II, rei da Macedônia. Quando se tornou rainha da Macedônia, morava na antiga cidade de Pella, Aiges, hoje conhecida como Vergina.

Mas quem exatamente era Olímpia? Bruxa? Sacerdotisa? Princesa? Rainha?

Diríamos que um pouco de cada!

Então vamos conhecer a mulher mais poderosa da Macedônia.

A misteriosa personalidade de Olímpia

Antes de mais nada, Olímpia foi uma das personalidades mais controversas e especiais da antiguidade.

Inclusive, a mãe de Alexandre, o Grande, dormia ao lado de répteis e servia no Oráculo de Dodona ( Oráculo de Zeus) enquanto era iniciada nas cerimônias sagradas do deus Dionísio, os chamados mistérios báquicos.

Na verdade, ela era uma sacerdotisa dos mistérios Kaveri, uma cerimônia religiosa da Samotrácia, que até hoje permanece um grande mistério. Outro fato que revela a misteriosa personalidade de Olímpia.

Sua relação com Filipe e o nascimento de Alexandre, o Grande

Medalha de ouro encontrada perto de Alexandria, Egito, representando Olímpia.
A rainha da Macedônia, Olímpia era a mãe de Alexandre, o Grande e uma das mulheres mais poderosas da antiguidade.

Filipe II também participou dessas cerimônias, onde conheceu Olímpia e se apaixonou por ela. Então, de seu amor nasceu o mais importante rei-recrutador de todos os tempos, Alexandre, o Grande. Mas de acordo com a lenda de Plutarco, Olímpia confessou a Filipe que Alexandre não era seu filho. Ela alegou que uma noite Zeus a visitou na forma de uma cobra e assim ela ficou grávida.

O nome original da Olímpia era Myrtali. Porém, mais tarde, recebeu o nome de Olímpia em reconhecimento à vitória de Filipe nas Olimpíadas de 356 aC.

A morte de seu marido e seu retorno à Macedônia

No entanto, a poligamia de Filipe obrigou Olímpia a retornar ao Épiro, quando o rei da Macedônia se casou com a macedônia Cleópatra, em 337. Então, um ano depois, Filipe foi assassinado por seu guarda-costas pessoal, Pausânias, e Olímpia retornou à Macedônia.

Inclusive, alguns culparam Olímpia, dizendo que ela ordenou o assassinato de Filipe porque ele a insultou ao se casar com uma mulher mais jovem. Ela então matou Cleópatra e sua filha.

Seu retorno à sua cidade natal, Épiro e a morte de seu filho

Olímpia discordou repetidamente de Antípatro, regente da Macedônia, durante os primeiros anos da invasão da Ásia por Alexandre e acabou partindo novamente para o Épiro, por volta de 331. Naquela época, Antípatro havia enviado uma carta a Alexandre, o Grande, reclamando do comportamento de sua mãe.

Depois de ler a carta, Alexander disse o seguinte:

“Antípatro provavelmente não sabe que uma lágrima de minha mãe é suficiente para apagar mil cartas como esta.”

Sua resposta mostra como Alexandre era dedicado à sua mãe.

Porém, em 323 aC, Olímpia experimentou o pior pesadelo de uma mãe. Ou seja, seu único filho foi morto. Por dois anos ela lamentou a perda de seu filho, que permaneceu insepulto na Babilônia por causa das lutas pela sucessão de seus generais. Alexandre, o Grande, morreu de febre, mas Olímpia nunca aceitou o fato.

O ataque de Olímpia

Eventualmente, Antípatro sucedeu Alexandre, o Grande, enquanto o filho recém-nascido de Alexandre, o Grande e Roxane, Alexandre IV, foi proclamado rei.

Após a morte de Antípatro em 319, seu sucessor, Poliperconte, convocou Olímpia para atuar como regente de seu jovem neto, Alexandre IV (filho de Alexandre, o Grande). Porém, ela rejeitou seu pedido até 317, quando o filho de Antípatro Cassandro estabeleceu como rei da Macedônia o filho de Filipe III, Arrideus, que sofria de deficiência mental.

Então, seu neto, que era o rei legítimo, perdeu sua sucessão.

No entanto, os soldados macedônios acreditavam que Arrideus era incapaz de governar e apoiaram o retorno de Olímpia. Então, assim que Olímpia voltou ao trono, matou Arrideus e sua esposa, bem como o irmão de Cassandro, junto com cem de seus melhores guerreiros.

A trágica morte de Olímpia

Para se vingar, Cassandro entrou na Macedônia e a sitiou na antiga cidade de Pieria, Pidna.

Após um terrível cerco, Olímpia decidiu se render na primavera de 316. Então, a Assembléia Macedônia a condenou à morte. No entanto, os soldados de Cassandro, por respeito a ela, se recusaram a cumprir a sentença.

Porém, esse não foi o caso dos familiares de suas vítimas, que não hesitaram em apedrejá-la até a morte. Inclusive, Cassandro odiava tanto Olímpia que ordenou que o corpo dela fosse deixado insepulto. Então assim, a única mulher que recebeu o título de Rainha da Macedônia de Filipe II, teve o seu trágico fim.

você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este website utiliza cookies para tornar sua experiência ainda melhor! Assumimos que você está de acordo, mas você pode não aceitar caso prefira. Aceitar Ler Mais