3 conselhos de psicólogos da ficção que irão te ajudar

A terapia é uma experiência que todos deveriam ter, e alguns psicólogos fictícios são tão bons que seus conselhos também podem nos servir.

Em um mundo onde a saúde mental é reconhecida como uma prioridade, a busca por ajuda profissional se torna essencial. Assim como na vida real, nas séries também encontramos personagens que contam com o suporte de especialistas para lidar com seus problemas emocionais e promover seu autoconhecimento.

Psicólogos fictícios oferecem grandes lições para quem assiste

“Eu Nunca…” – Dra. Jamie Ryan

Na popular série “Eu Nunca…”, a protagonista Devi encontra auxílio na figura da psicóloga Dra. Jamie Ryan. Em seu processo de luto, a Dra. Jamie incentiva Devi a enfrentar suas dores em vez de ignorá-las.

Uma estratégia interessante sugerida pela profissional é o “diário de mágoas”, uma forma de desabafo que permite à personagem lidar com suas emoções de maneira saudável.

“Quero que se permita reconhecer a dor que você, claramente, sente. […] Porque acho que isso ajudaria você a se curar.” [temporada 1, episódio 8]

LEIA MAIS: Água micelar ou demaquilante? Veja é a melhor opção para a sua pele

“Atypical” – Julia Sasaki

Em “Atypical”, o adolescente autista Sam recebe apoio da psicóloga Julia Sasaki. Em sua jornada em busca de independência e relacionamentos amorosos, Sam descobre que as relações podem ser desafiadoras para pessoas autistas.

No entanto, a psicóloga destaca a importância de aprender estratégias para lidar com essas situações, fornecendo ao protagonista as ferramentas necessárias para enfrentar os desafios emocionais que surgem em seu caminho.

“Seu filho tem o mesmo desejo de ser amado que todos. Por que ele não pode tentar?” [temporada 1, episódio 1]

LEIA MAIS: 4 franquias baratas e lucrativas para empreender pagando pouco

“Young Royals” – Boris

Em “Young Royals”, o príncipe Wilhelm enfrenta pressões familiares e vivencia um amor proibido por Simon. Nesse contexto, o psicólogo Boris desempenha um papel fundamental ao auxiliar Wilhelm a compreender a importância de se desvincular das expectativas dos outros e encontrar seu próprio caminho, promovendo seu bem-estar emocional.

Ser grato também pode significar que você sente culpa, que você tem uma dívida. E isso pode ser uma pressão enorme. Ainda mais quando você ganha algo que nunca pediu […] “Não podemos escolher como nascemos. Mas podemos escolher como viver a nossa vida.”

Gostou deste artigo? Então, confira vários outros semelhantes aqui no site Brazil Greece!

você pode gostar também