Cultura

7 coisas que brasileiros acham estranho quando chegam à Europa

7 coisas que brasileiros acham estranho quando chegam à Europa
By     -   On

Quando os brasileiros viajam para a Europa, é comum que se deparem com algumas diferenças culturais e hábitos que podem parecer estranhos para eles. Essas diferenças podem variar desde a culinária até as normas sociais. Confesso que quando eu vim para o Brasil, também estranhei algumas coisas. E foi pensando nisso que decidi escrever esse artigo para falar sobre algumas das coisas que os brasileiros geralmente acham estranhas na Europa.

Coisas que os brasileiros acham esquisito na Europa

1. Alimentação

Uma das primeiras coisas que os brasileiros percebem é a diferença na alimentação. Enquanto no Brasil é comum ter refeições fartas, com arroz, feijão e carne, na Europa a comida pode ser mais leve e com menos temperos. Além disso, o horário das refeições também pode ser diferente, com os europeus preferindo jantar mais cedo do que os brasileiros.

Porém, isso depende de para qual lugar você viaja. Pois caso vá para a Grécia, verá que refeições fartas não faltam por lá.

Leia mais: 6 bebidas favoritas dos gregos que você tem que conhecer

2. Cumprimentos

No Brasil, é comum cumprimentar as pessoas com beijos no rosto ou abraços. Na Europa, os cumprimentos podem ser mais formais, como apertos de mão. Além disso, os europeus têm uma distância pessoal maior do que os brasileiros, o que pode parecer estranho para quem está acostumado com um contato físico mais próximo.

Porém, isso depende de para onde você irá viajar. Por exemplo, ao norte poderá encontrar uma cultura de maior distanciamento. Enquanto que na Grécia também temos costumes semelhantes aos do Brasil, somos calorosos e adoramos beijos e abraços.

3. Pontualidade

Os brasileiros geralmente têm uma visão mais flexível do tempo, enquanto os europeus são conhecidos por serem mais pontuais. Isso pode ser percebido em compromissos e horários de trabalho. Os brasileiros podem achar estranho a rigidez dos europeus em relação ao tempo.

Agora, a verdade é que nisso a Grécia é bem parecida com a que vejo aqui, em termos de horário, nem sempre somos tão pontuais.

4. Transporte público

Outra diferença marcante é o transporte público. Enquanto no Brasil é comum usar o carro como meio de transporte principal, na Europa o transporte público é amplamente utilizado. Os brasileiros podem achar estranho o fato de terem que depender de ônibus, metrôs e trens para se locomoverem.

5. Compras

Os brasileiros estão acostumados com grandes shoppings e centros comerciais, onde é possível encontrar uma grande variedade de produtos em um só lugar. Na Europa, é mais comum encontrar lojas menores e especializadas. Além disso, os horários de funcionamento das lojas também podem ser diferentes, com muitas delas fechando mais cedo.

6. Idioma

Embora muitos brasileiros falem inglês, a barreira do idioma ainda pode ser um desafio na Europa. Os brasileiros podem achar estranho não conseguir se comunicar facilmente com as pessoas ao seu redor.

Além disso, temos várias outras línguas locais em alguns países além do inglês. No entanto, apesar de ser um pouco confuso, isso também pode ser uma oportunidade para aprender um novo idioma e se adaptar a uma nova cultura.

Leia mais: Teste de personalidade: que tipo de turista você é?

7. Hábitos sociais

Os brasileiros são conhecidos por sua extroversão e calor humano. Na Europa, os hábitos sociais podem ser diferentes, com as pessoas sendo mais reservadas e discretas. Os brasileiros podem achar estranho o fato de que os europeus não são tão abertos a conversas com estranhos ou demonstrações públicas de afeto.

Embora essas diferenças possam parecer estranhas no início, é importante lembrar que cada cultura tem suas próprias peculiaridades. Viajar para a Europa é uma oportunidade de aprender e se adaptar a novas experiências. Ao invés de julgar ou achar estranho, é melhor aproveitar essas diferenças e enriquecer nossa própria visão de mundo.

Konstantinos P.

Grego, morou na Grécia por quase toda a sua vida e em Londres por 3 anos. Trabalhou como Bar Manager, Bartender e Barista em Londres e na Grécia. Além de ter trabalhado nas melhores cozinhas e bares de Londres e da Grécia. Participou de renomados cursos na área e compartilhou o seu conhecimento com seus alunos pela Europa. Por ser apaixonado pelo seu país, encontrou por meio da escrita uma forma de compartilhar com os brasileiros o seu conhecimento sobre viagens, história, cultura, mitologia grega e culinária geral, trazendo o melhor da Grécia para vocês.