Aqueronte: Tudo Sobre O Portal Para O Submundo Da Mitologia Grega!

Os gregos antigos acreditavam que após a morte, as almas dos mortos passavam a morar no submundo.

O governante do submundo era Hades, também conhecido como o deus Plutão e a deusa do submundo, e esposa de Hades, era Perséfone.

Hades vivia em Champs Elysées ( palavra francesa para Campos Elísios), que era o destino final das almas dos virtuosos e dos heróis. Os Campos Elísios eram o paraíso dos gregos antigos.

Por outro lado, os ímpios e malevolentes, como punição, eram conduzidos aos tártaros, considerados o inferno dos gregos antigos.

Além disso, as almas dos mortos eram transportadas para o submundo pelo transmissor psíquico, que era o deus grego Hermes, cruzando o rio Aqueronte.

Caronte, era o barqueiro que recebia as almas e as transportava para a vida após a morte, em troca de um obol (óbolo), uma moeda da Grécia antiga.

Porém, os mortais seriam capazes de se comunicar com os mortos através do oráculo do Aqueronte.

Para conseguir isso, os mortais teriam que fazer uma oferenda e tirar a alma do estado de esquecimento, oferecendo-lhe sangue.

Onde está o Rio Aqueronte hoje?

As nascentes de Aqueronte começam nas montanhas do continente e desembocam no Mar Jônico.
As nascentes de Aqueronte começam nas montanhas do continente e desembocam no Mar Jônico.

Primeiro de tudo, Aqueronte é um rio que realmente existe, ele flui no noroeste da Grécia e tem um comprimento de 52 km.

Além disso, pertence à região de Épiro e atravessa os distritos de Tesprócia, Ioannina e Preveza.

Juntamente com o Voidomatis, são os rios com a água mais limpa da Europa. Isso fica claro à primeira vista, devido às suas águas turquesa, que lembram o Caribe.

Devido ao seu enorme valor cultural e à sua rica vegetação, atrai milhares de visitantes, desde as nascentes até à foz do rio.

Onde estão as fontes de Aqueronte?

As primeiras nascentes de Aqueronte vêm das neves do Monte Tomaros localizado em Ioannina, o resto vem das montanhas de Paramythia, no distrito de Tesprócia e das montanhas de Souli.

No entanto, as trilhas mais turísticas de Aqueronte começam a apenas dois quilômetros da vila de Gliki, no estacionamento onde você deixará o carro.

E se você planeja cruzar os caminhos, precisará usar calçados impermeáveis ​​especiais e você pode adquiri-los lojas que ficam no estacionamento.

A caverna do dragão mítico

Assim que se deparar com o rio, na primeira praia, à sua esquerda, há um grande plátano, famoso pela caverna que se esconde embaixo.

É uma caverna mítica, onde outrora viveu um terrível dragão, que envenenou as águas do rio.

Diz a lenda que um local chamado Aidonatos conseguiu matar o dragão.

Depois disso, com a conquista, a água voltou a ficar fresca e a aldeia vizinha foi batizada de Gliki, ao mesmo tempo que Aidonatos foi proclamado santo e até hoje é homenageado como Ai Donatos, o santo padroeiro da região.

O que fazer em Gliki

Uma das trilhas mais populares de Aqueronte que começa em Gliki e termina na Ponte de Dallas.
Uma das trilhas mais populares de Aqueronte que começa em Gliki e termina na Ponte de Dallas.

Primeiramente, além de ser doce, a água de Aqueronte é fria mesmo no verão.

No entanto, continuando sua jornada após a caverna, a temperatura da água torna-se tolerável e a paisagem ainda mais mágica.

As rotas mais populares de Aqueronte são a trilha de 2 horas até a antiga Ponte de Dallas e, para os mais aventureiros, a rota de 6 horas, que atravessa todo o desfiladeiro de Aqueronte. A partir daí, a rota depende da sua resistência.

Já o roteiro histórico é aquele que parte do ponto conhecido como escada de Tzavelaina e termina no planalto de Souli e especificamente na aldeia de Samoniva.

Mas, se caminhar não é sua atividade favorita, no estacionamento você encontrará casas de madeira com empresas que organizam diversas atividades em Aqueronte.

Os mais praticados são a canoagem, o ciclismo ao longo do rio, o rafting amador sem equipamento e os passeios a cavalo.

O estuário de Aqueronte e o mito de Aquiles

A cerca de 15 km de Gliki, encontra-se o estuário de Aqueronte, na praia de Ammoudia, uma praia no Mar Jônico, com águas rasas de um azul profundo.

Então, a partir daí, começa o passeio de barco, no delta do rio Estige, com as águas míticas, nas quais a mãe de Aquiles, Tétis (deusa do mar), o mergulhou para torná-lo imortal.

Além disso, você pode conferir a história de Aquiles e outras da mitologia grega que deram origem a expressões que usamos no nosso dia a dia no artigo que escrevemos aqui.

O necromante de Aqueronte

Um dos pontos turísticos mais importantes do necromante de Aqueronte, conservado até hoje, é a cripta sagrada.
Um dos pontos turísticos mais importantes do necromante de Aqueronte, conservado até hoje, é a cripta sagrada.

A poucos quilômetros da praia de Ammoudia, fica a vila de Mesopotamos, que abriga o lendário necromante.

Segundo Homero, havia o ponto onde os rios Aqueronte, Cócito e Flegetonte se encontravam, na costa noroeste do Lago Aqueroúsia, que era a porta de entrada para o submundo.

Ele está localizado em uma colina, que já foi uma ilhota no Lago Aqueroúsia, antes de ser drenado na década de 60.

Junto com o oráculo de Delfos e o oráculo de Dodona, na antiguidade eles foram os oráculos mais importantes da Grécia. A diferença entre o necromante e os outros oráculos da Grécia é que ali os visitantes pediam contato com os mortos e não iam apenas buscar um oráculo.

Em 167 AC. foi incendiado pelos romanos.

No entanto, voltou a funcionar no século I AC e no século 18, sobre as ruínas, foi construído o mosteiro de Agios Ioannis, o Batista, que existe até hoje.

Muitos achados antigos do necromante, como as estatuetas de Perséfone, foram transferidos para o museu de Ioannina.

Arquitetura do necromante de Aqueronte

Quanto à arquitetura do necromante, lembra um mausoléu do Oriente do século V.

Além disso, as impressões são roubadas pelo porão que é esculpido em uma rocha e suas paredes em arco que sustentam o teto da sala.

Por fim, esta é a popular cripta sagrada do necromante, que devido à especial acústica do espaço, influenciava mentalmente os visitantes, a fim de acreditarem nos espíritos.

Como funcionava o necromante na antiguidade?

A parte mais interessante do passeio (se você encontrar um guia), é a forma como o necromante funcionava na antiguidade.

Primeiramente, quem quisesse se comunicar com os mortos, deveria ficar em isolamento por 5 dias com um único alimento, uma fruta alucinógena, o tremoço.

Depois que os padres os tiravam da sala, eles os passavam por um “labirinto” e com mecanismos especiais, véus levantados, para que acreditassem ter visto espíritos.

Então, o visitante acabava em um porão com luzes e arcos, em cujos recessos os padres se escondiam, sussurrando e gritando coisas sem sentido.

Como resultado, o visitante, que estava sob o efeito de drogas, acreditava estar se comunicando com os mortos.

Roteiro curto para sua viagem no Rio Aqueronte

Parga está fica perto de Aqueronte e recebe o nome de "a princesa do Mar Jônico", devido à sua grande importância comercial, histórica e cultural.
Parga está fica perto de Aqueronte e recebe o nome de “a princesa do Mar Jônico”, devido à sua grande importância comercial, histórica e cultural.

Se o seu ponto de partida for o norte da Grécia, comece pela manhã, visite Gliki e siga o caminho de sua escolha.

Então, de lá você pode visitar a foz do rio e passar a noite na romântica Parga.

Depois, no dia seguinte, você pode visitar Sivota, uma das mais belas praias da Grécia.

Para os amantes da natureza, sugerimos acomodação nas fontes de Aqueronte e especificamente em Gliki ou no estuário de Aqueronte, na praia de Ammoudia.

Posteriormente, de lá, você pode fazer uma viagem de um dia para Parga e Sivota.

você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este website utiliza cookies para tornar sua experiência ainda melhor! Assumimos que você está de acordo, mas você pode não aceitar caso prefira. Aceitar Ler Mais