Curiosidades

Como superar os seus traumas de infância, segundo a Numerologia?

Como superar os seus traumas de infância, segundo a Numerologia?
By     -   On

A vida nos ensina que, por vezes, nossas maiores forças emergem de nossas fraquezas. Surpreendentemente, essas fraquezas podem estar enraizadas em traumas da infância. Descobrir e compreender essas experiências dolorosas é fundamental para usá-las como fonte de força e satisfação.

E, assim como em diversas áreas, a Numerologia pode ajudar nisso. Veja, a seguir, como desvendar quais seus traumas da infância com um desafio super simples.

Como desvendar os traumas de infância com a Numerologia

A Numerologia é uma ferramenta poderosa e esclarecedora para entender os traumas da infância, sabia? Um dos métodos mais eficazes é o Mapa Infantil Numerológico.

Esse mapa revela os números que representam os desafios que enfrentamos em nossa infância. A partir daí, como tudo moldou nossa personalidade e escolhas. Por isso, entender essas influências pode ser profundamente libertador e motivador para implementar mudanças significativas.

Além de decifrar o significado dos desafios, o Mapa Numerológico também identifica talentos que trouxemos da infância, chamados de Lições Existenciais. Estas nos indicam o que devemos buscar realizar em nossas vidas e superar para crescer.

Como identificar os traumas de infância no Mapa Numerológico

Primeiramente, para descobrir os traumas da infância em seu Mapa Numerológico, siga esses passos simples:

  1. Acesse o Mapa Infantil.
  2. Insira seu nome e data de nascimento.
  3. Clique para gerar a versão gratuita.

Quando seu mapa estiver pronto, observe os números de Desafio atribuídos a você. Esses números revelarão informações valiosas sobre os traumas de infância carrega e, sobretudo, como eles o afetam.

Desafio do número 1: traumas de autoridade

Se o Desafio do Número 1 estiver presente em seu Mapa, sua infância pode ter sido marcada por um ambiente de autoridade excessiva. Como resultado, houve impactos na sua autoconfiança, levando a inseguranças e medo de ser diferente.

Superar esse trauma envolve aprender a confiar em si, abraçar sua autenticidade e enfrentar desafios que promovam inovação e liderança. Dito de outra maneira, a jornada de cura começa com a coragem de ser você mesmo.

Desafio do número 2: relações familiares complexas

Se você possui o Desafio do Número 2, é provável ter experimentado uma relação de amor e ódio com figuras femininas, por exemplo, a mãe ou avó. Essas experiências podem ter gerado desconforto em lidar com emoções e relacionamentos com mulheres.

Sua cura começa quando você desenvolve maturidade emocional e aprende a lidar naturalmente com o mundo emocional e as sutilezas das relações.

Desafio do número 3: sentimentos de inferioridade

O Desafio do Número 3 pode ter raízes em uma infância em que você se sentia inferior em comparação com irmãos, primos ou colegas. A cura envolve recuperar sua autoconfiança, buscar prazer e expressar criatividade.

Ao abraçar a alegria de se expressar, você fortalece sua autoconfiança e se sente à vontade para compartilhar sua criatividade com os outros. Consequentemente, supera este que é um dos mais comuns entre os traumas de infância.

Desafio do número 4: equilíbrio nas responsabilidades

Traumas da infância relacionados ao Desafio do Número 4 podem incluir responsabilidades rigorosas ou excesso de proteção. Encontrar equilíbrio entre deveres e lazer é fundamental para sua cura.

A jornada de cura envolve manter uma abordagem responsável à vida cotidiana enquanto equilibra descanso e atividade.

Leia mais: Previsão de 2024: quais serão os signos mais sortudos?

Desafio do número 5: mudanças e limites para superar traumas de infância

Se o Desafio do Número 5 está em seu Mapa, sua infância pode ter sido marcada por mudanças constantes ou monotonia. Superar esse trauma exige encontrar equilíbrio e disciplina, bem como aproveitar os prazeres dos cinco sentidos sem exagerar.

Desenvolver o desapego e, principalmente, aceitar diferentes experiências de vida e pessoas é fundamental para a cura.

Desafio do número 6: as águas turbulentas das relações

Por outro lado, se o Desafio do Número 6 faz parte do Mapa, sua infância provavelmente envolveu conflitos familiares significativos. Por exemplo, tensões entre pais, tios ou irmãos. Isso deixou marca de desconforto ao lidar com discordâncias e conflitos nas relações, tanto familiares como sociais.

Talvez você tenha, então, tendência a evitar envolvimentos afetivos e em grupo, especialmente quando as expectativas de relacionamento ideal não são atendidas. Por outro lado, pode ter constante busca por relacionamentos, mas recua quando surgem desentendimentos. Tudo para, especialmente, evitar o desconforto que eles trazem.

A jornada de cura em mais este entre os traumas de infância começa quando desenvolve a compreensão e aceitação das qualidades e falhas das pessoas ao seu redor.

Por isso, aprenda a arte da negociação, do diálogo e da busca por acordos justos, embora as circunstâncias não atendam perfeitamente às suas expectativas.

Leia mais: 3 signos que estão prestes a encontrar a sua alma gêmea

Desafio do número 7: ciência e mistério

No caso de possuir o Desafio do Número 7, sua infância pode ter sido influenciada por um ambiente permeado pela religião, superstições. Ou, pelo contrário, uma ênfase na ciência, racionalidade e ceticismo em relação a mistérios e realidades sutis.

Neste sentido, pode haver eventos misteriosos ou segredos familiares, como traições, sem ter uma compreensão completa do que ocorreu. A partir daí, surgiu um medo da realidade, da verdade, além de uma relutância em olhar além das aparências.

Como resultado, você se afastou da vida social e prefere ficar à margem da sociedade. Alternativamente, desenvolveu certa obsessão em buscar sucesso material ao desvendar segredos e complexidades.

A cura dessa ferida ocorre quando evita os extremos e encontra um equilíbrio entre o ceticismo e a fé, seja em si, nos outros, ou na vida.

Desafio do número 8: poder e o dinheiro

Caso o Desafio do Número 8 faça parte do seu Mapa, os seus traumas de infância pode se relacionar a mudanças significativas na situação financeira da família. Neste sentido, destacamos falências ou sucessos profissionais de seus pais, ou até abuso de autoridade de uma figura específica.

Essas experiências criaram desconforto ao lidar com questões financeiras, poder pessoal e autoridade. Você pode sentir insegurança em assumir seu poder pessoal, liderar e gerenciar, devido às lembranças de conflitos financeiros e abusos de autoridade.

A cura dessa ferida ocorre quando você reconcilia sua relação com o dinheiro, compreendendo a diferença entre ambição e ganância. Sendo assim, direcione sua energia para conquistas significativas e construa uma vida próspera e filantrópica.

Desafio do número 9: desejo de ajudar para superar traumas de infância

Por fim, se o Desafio do Número 9 estiver em seu Mapa, sua infância provavelmente envolveu sacrifícios. Isso inclui tanto seus próprios para não incomodar alguém quanto responsáveis fazendo grandes sacrifícios por você, talvez devido a doenças ou limitações.

Essas experiências eventualmente geraram um conflito interno entre o desejo de se destacar e ser reconhecido e o desejo de auxiliar os outros. A cura dessa ferida começa quando você compreende a importância de cuidar de si, desenvolver autoconhecimento e maturidade.

Somente a partir desse ponto, você poderá compartilhar principalmente seu potencial humanitário, inspirar outras pessoas e, assim, manter relacionamentos significativos sem perder sua própria liberdade e equilíbrio.

Luciana Gomides

Jornalista e assessora de comunicação e imprensa com experiência em Comunicação Pública, Gestão de Eventos, Marketing Digital, análise e estratégia, gerenciamento de crises, produção e redação de conteúdo. Já trabalhou em diversos projetos e segmentos na área, inclusive como gerente de Comunicação na Educação Municipal, período em que desenvolveu produtos audiovisuais para permitir o acesso a conteúdos pedagógicos durante a pandemia. Ainda, criou áreas de Ouvidoria e Eventos Virtuais. É pesquisadora de Comunicação Compartilhada/Comunitária, Marketing Público e Políticas Públicas para Comunicação. Atuou na área de turismo e hotelaria. Especialista em Marketing e Assessoria de Comunicação.