CulturaHistória Grega

25 De Março: A Independência Grega Explicada Por Um Grego!

25 De Março: A Independência Grega Explicada Por Um Grego!
By     -   On

Hoje, dia 25 de março é celebrada a independência grega!

Então, aqui, um grego te explica tudo o que você precisa saber a respeito! A revolução de 1821 foi a maior revolta dos gregos contra o Império Otomano.

Esta luta revolucionária resultou no estabelecimento de um reino independente da Grécia.

Dia 25 De Março : A Independência Grega Explicada Por Um Grego!

Os pioneiros da Revolução

A revolta foi iniciada por uma organização secreta, a Sociedade Amiga (“Friendly Brotherhood”), fundada em 1814 em Odessa do então Império Russo (agora Ucrânia) por patriotas gregos.

Até então, o desejo de alguma forma de independência era comum entre os gregos de todas as classes.

A preservação do helenismo, da religião e da língua grega foi salva pela Igreja Ortodoxa Grega.

Onde começou a revolta grega contra os turcos?

A revolta começou em fevereiro de 1821 quando Alexander Ypsilantis atravessou o rio Prut na Moldávia ocupada pelos turcos com uma pequena força de tropas.

Os turcos derrotaram Ypsilantis. Mas sua luta despertou os gregos que foram escravizados sob o jugo turco por 400 anos.

Então, em 25 de março de 1821, data oficial da independência grega, começaram revoltas esporádicas contra o domínio turco em toda a Grécia.

A recuperação do Peloponeso

Então, dentro de um ano, os revolucionários liderados por Theodoros Kolokotronis conseguiram recuperar o controle do Peloponeso. E em janeiro de 1822 declararam a independência da Grécia.

Inclusive, os turcos tentaram três vezes (1822-1824) invadir o Peloponeso, mas não conseguiram retomar a área.

A guerra civil dos gregos

No entanto, rivalidades internas impediram os gregos de expandir seu controle e consolidar sua posição no Peloponeso.

Em 1823 eclodiu uma guerra civil entre o líder rebelde Theodoros Kolokotronis e Georgios Kountouriotis, que era o chefe do governo formado em janeiro de 1822.

Após uma segunda guerra civil que ocorreu em 1824, Koundouriotis se estabeleceu como líder.

No entanto, seu governo e toda a revolução foram severamente ameaçados pela chegada das forças egípcias, sob o comando de Ibrahim Pasha, que havia sido enviado para ajudar os turcos em 1825.

Turcos e egípcios atacam a Grécia

Então, com o apoio do poder naval egípcio, as forças otomanas invadiram o Peloponeso novamente.

Após uma batalha feroz, em abril de 1826, os numerosos turcos ocuparam Mesolóngi com a ajuda do exército egípcio.

Além disso, no mesmo ano, ocuparam Atenas.

Os gregos se refugiaram na Acrópole, que era então cercada pelos turcos.

Os turcos não hesitaram em sitiar a Acrópole e em 1827 ocuparam completamente a cidade.

Intervenção das Grandes Potências

Foi então que ocorreu a intervenção das grandes potências europeias, que ofereceram uma solução pacífica aos turcos, favorecendo o estabelecimento de um estado grego autônomo.

Os turcos se recusaram a negociar esta proposta.

Então, em 20 de outubro de 1827, Grã-Bretanha, França e Rússia enviaram suas frotas navais para Navarino, onde destruíram a frota egípcia.

A guerra russo-turca

No entanto, esta batalha naval não foi suficiente para destruir as enormes forças otomanas que atacaram a Rússia.

Assim, em 1828, começou a guerra russo-turca, que terminou em 1829 com a vitória da Rússia.

Após a batalha com os russos, os turcos perderam grande parte de seu exército. E, em combinação com a pressão das grandes potências, declararam a Grécia um estado monárquico independente.

O primeiro rei da Grécia

As grandes potências, querendo controlar a Grécia, nomearam o príncipe da Baviera, Otto, como seu rei.

Finalmente, com o Tratado de Constantinopla em julho de 1832, o sultão turco reconheceu a Grécia como um estado autônomo.

Restrição dos heróis da revolução

A trágica ironia é que a maioria dos heróis da revolução foram mortos, torturados ou presos, pois o rei e os respectivos governos temiam que o povo se revoltasse contra eles.

Por fim, hoje, dia 25 de março ocorre a comemoração dos gregos do início da libertação dos turcos otomanos.

Konstantinos P.

Grego, morou na Grécia por quase toda a sua vida e em Londres por 3 anos. Trabalhou como Bar Manager, Bartender e Barista em Londres e na Grécia. Além de ter trabalhado nas melhores cozinhas e bares de Londres e da Grécia. Participou de renomados cursos na área e compartilhou o seu conhecimento com seus alunos pela Europa. Por ser apaixonado pelo seu país, encontrou por meio da escrita uma forma de compartilhar com os brasileiros o seu conhecimento sobre viagens, história, cultura, mitologia grega e culinária geral, trazendo o melhor da Grécia para vocês.