Grécia

O fim está próximo? O que a mitologia grega revela sobre o apocalipse

O fim está próximo? O que a mitologia grega revela sobre o apocalipse
By     -   On

A mitologia grega é rica em histórias e lendas que abordam diversos aspectos da vida humana e do mundo em que vivemos. Entre essas histórias, encontramos relatos sobre o fim do mundo, eventos catastróficos que marcariam o término da existência da humanidade e do universo como conhecemos.

Embora não haja um relato único e definitivo sobre o fim do mundo na mitologia grega, existem diferentes mitos e profecias que oferecem vislumbres sobre esse assunto. Por isso, vamos explorar alguns desses relatos e entender como eles se conectam com a visão de mundo dos antigos gregos.

Leia mais: Cruzeiro na Grécia: especialistas indicam os cinco melhores

O fim do mundo na mitologia grega

Fim do mundo, de acordo com a mitologia grega.

A profecia de Hesíodo

Antes de mais nada, uma das fontes mais importantes para entender a visão dos gregos antigos sobre o fim do mundo é a obra “Trabalhos e Dias”, escrita pelo poeta Hesíodo no século VIII a.C. Assim, nessa obra, Hesíodo descreve uma série de idades diferentes que se sucedem ao longo do tempo, cada uma delas marcada por características distintas.

Segundo Hesíodo, a primeira era foi a Idade de Ouro, um período de paz, prosperidade e harmonia entre os deuses e os homens. No entanto, essa era chegou ao fim quando os homens se tornaram corruptos e desobedeceram aos deuses, dando início à Idade de Prata.

A Idade de Prata foi marcada por uma diminuição da justiça e da bondade na sociedade humana. Os homens se tornaram mais egoístas e menos preocupados com o bem-estar coletivo. Essa era também chegou ao fim, e deu lugar à Idade de Bronze.

Então, na Idade de Bronze, a violência e a guerra se tornaram mais comuns. Assim, os homens começaram a construir armas e a lutar entre si, causando sofrimento e destruição. Essa era também teve seu fim, e foi sucedida pela Idade dos Heróis.

Assim, a Idade dos Heróis foi um período em que grandes heróis, como Hércules e Teseu, viveram e realizaram feitos extraordinários. No entanto, mesmo esses heróis eram mortais, e a Idade dos Heróis chegou ao fim com a morte desses grandes homens.

Após a Idade dos Heróis, Hesíodo descreve a Idade do Ferro, a era em que os gregos viviam na época em que ele escreveu. Essa era é marcada pela violência, pela injustiça e pelo sofrimento. Hesíodo acreditava que a humanidade estava em um declínio moral e que o fim do mundo estava próximo.

Leia mais: Personalidade: descubra se você é um dragão no horóscopo chinês

Outros relatos sobre o fim do mundo

Além da visão de Hesíodo, existem outros relatos na mitologia grega que abordam o tema do fim do mundo. Por exemplo, a história do dilúvio de Deucalião, que é semelhante ao relato bíblico do dilúvio de Noé. Segundo essa história, Zeus decidiu destruir a humanidade por causa de sua corrupção e injustiça, mas Deucalião e sua esposa Pirra foram avisados e construíram uma arca para sobreviver ao dilúvio.

Outro relato interessante é a história de Fênix, a ave que renasce das cinzas. Segundo a lenda, quando a Fênix sente que está chegando ao fim de sua vida, ela constrói um ninho de galhos e se incendeia. Das cinzas, uma nova Fênix renasce, simbolizando o ciclo eterno da vida e da morte.

Leia mais: Áreas que se tornarão inabitáveis até 2050, segundo a NASA

Reflexões sobre o fim do mundo na mitologia grega

Por fim, os relatos sobre o fim do mundo na mitologia grega nos convidam a refletir sobre a natureza cíclica da vida e da história humana. Assim, as diferentes idades descritas por Hesíodo representam estágios distintos da evolução da humanidade, cada um deles marcado por características específicas.

Embora os antigos gregos acreditassem que a humanidade estava em um declínio moral na Idade do Ferro, eles também acreditavam na possibilidade de renovação e renascimento. A história da Fênix nos lembra que, mesmo diante da destruição e do fim, há sempre a esperança de um novo começo.

Esses relatos também nos convidam a refletir sobre a importância da justiça, da bondade e da harmonia na sociedade humana. As idades descritas por Hesíodo mostram que o desrespeito aos deuses e a corrupção moral levam ao declínio e à destruição.

Konstantinos P.

Grego, morou na Grécia por quase toda a sua vida e em Londres por 3 anos. Trabalhou como Bar Manager, Bartender e Barista em Londres e na Grécia. Além de ter trabalhado nas melhores cozinhas e bares de Londres e da Grécia. Participou de renomados cursos na área e compartilhou o seu conhecimento com seus alunos pela Europa. Por ser apaixonado pelo seu país, encontrou por meio da escrita uma forma de compartilhar com os brasileiros o seu conhecimento sobre viagens, história, cultura, mitologia grega e culinária geral, trazendo o melhor da Grécia para vocês.