Notícias

Afinal, por que os carros são tão caros no Brasil?

Afinal, por que os carros são tão caros no Brasil?
By     -   On

Comprar um carro é o sonho de muitos brasileiros, mas parece cada vez mais difícil de concretizar. Os preços dos veículos novos e usados têm assustado a maioria das pessoas. Mas quais são as razões por trás desse fenômeno dos carros tão caros no Brasil? 

Neste artigo, vamos explicar os motivos que levaram à alta no preço dos carros no Brasil e o que as montadoras estão fazendo para tentar resolver essa questão.

Por que os carros são tão caros no Brasil?

Carga tributária: forte razão para os carros caros no Brasil

Um dos fatores mais evidentes é, sem dúvidas, a carga tributária que incide sobre os automóveis. Segundo um estudo da Anfavea, a associação das montadoras, os impostos podem representar de 33% a 47% do preço final de um carro. Isso inclui o IPI, o ICMS, o PIS e a Cofins, além do Imposto de Importação para os veículos estrangeiros. 

Esses tributos são cobrados tanto na produção quanto na venda dos carros, gerando um efeito cascata que encarece o custo final.

LEIA MAIS: Conheça a incrível coleção de carros do jogador Lionel Messi e os seus valores

Transporte majoritariamente feito por rodovias

Outro fator que deixa os carros mais caros no Brasil é o fato de o país ter dimensões continentais e uma malha de transporte majoritariamente feita por rodovias. Este modelo de transporte encarece bastante o translado dos veículos desde as fábricas até as concessionárias.

Falta de competitividade do mercado automotivo nacional

Um terceiro fator que contribui para o alto preço dos carros no país é a falta de competitividade do mercado automotivo nacional. Segundo especialistas, as montadoras brasileiras têm margens de lucro maiores do que em outros países, aproveitando-se da baixa concorrência e da demanda reprimida. 

Além disso, as fabricantes repassam para os consumidores os custos de produção elevados, que são influenciados pelo câmbio, pela inflação, pelos juros e pelos insumos necessários.

Cultura de valorização do carro próprio

Por fim, um quarto fator que explica por que os carros são tão caros no Brasil é o comportamento dos próprios consumidores. Muitos brasileiros têm uma cultura de valorização do carro próprio como símbolo de status e de pertencimento social. 

Isso faz com que eles aceitem pagar mais caro por um veículo, mesmo que ele seja inferior aos modelos vendidos em outros países. Ademais, a maioria dos consumidores não tem uma referência clara de um preço justo para os carros, já que o Brasil nunca teve uma estabilidade econômica duradoura.

LEIA MAIS: Por que o velocímetro de carro não mostra a real velocidade do automóvel?

Volta dos carros populares é a solução?

A indústria automotiva nacional está estudando maneiras de lidar com o alto preço dos combustíveis, principalmente quando o assunto é carro popular. Atualmente, o carro popular mais barato do país custa, em média, R$ 70 mil, ou seja, muito mais do que a maioria da população brasileira pode pagar.

Uma das principais ideias das empresas do mercado é o lançamento de um modelo de carro popular que não ultrapasse os R$ 60 mil, com menos recursos de alta tecnologia e adicionais que possam encarecer o custo do veículo. No entanto, nada se concretizou devido a certos aspectos burocráticos.

Além disso, ainda é fora da realidade do trabalhador brasileiro comprar um carro cujo valor esteja entre R$ 50 mil e R$ 60 mil.

Gostou deste artigo? Então, confira vários outros semelhantes aqui no site Brazil Greece!

Luciana Gomides

Jornalista e assessora de comunicação e imprensa com experiência em Comunicação Pública, Gestão de Eventos, Marketing Digital, análise e estratégia, gerenciamento de crises, produção e redação de conteúdo. Já trabalhou em diversos projetos e segmentos na área, inclusive como gerente de Comunicação na Educação Municipal, período em que desenvolveu produtos audiovisuais para permitir o acesso a conteúdos pedagógicos durante a pandemia. Ainda, criou áreas de Ouvidoria e Eventos Virtuais. É pesquisadora de Comunicação Compartilhada/Comunitária, Marketing Público e Políticas Públicas para Comunicação. Atuou na área de turismo e hotelaria. Especialista em Marketing e Assessoria de Comunicação.