A Arquitetura Grega Antiga Desde Os Tempos Pré-Históricos!

Veja aqui tudo sobre a arquitetura grega Antiga desde os tempos pré-históricos.

A arquitetura é a arte e a ciência de satisfazer as necessidades humanas no espaço, através do desenho metódico e das construções materiais que são amplamente aplicadas na habitação e na construção do espaço.

Essa ciência enfatiza certas áreas dessas necessidades, como ergonomia e estética, função, forma ou construção, dependendo da época e das especificidades do cliente para o qual é conduzida.

Além disso, etimologicamente, o termo vem das palavras gregas ” αρχή ” (lê-se “arkhí” e significa “princípio”) e “τέχνη-τεκτονική” (“téchni” significa “arte” e “tektonikí”, “construção”) .

A arquitetura da Grécia Antiga se refere à arquitetura dos povos de língua grega que viviam na Grécia continental e no Peloponeso. Além de nas ilhas do Mar Egeu, nas colônias gregas na Jônia (costas da Ásia Menor) e na Magna Grécia (colônias gregas na Itália e na Sicília).

No entanto, a apresentação da história grega geralmente começa com uma breve referência à evolução da civilização desde a Idade da Pedra. Como evidenciam as descobertas da área geográfica grega.

‣ A arquitetura na Grécia na Idade da Pedra (7.000 – 3.200)

Arquitetura na Grécia Antiga: assentamento pré-histórico de Sesklo, Volos
O assentamento pré-histórico de Sesklo em sua forma original.

Já em 7.000 aC, as primeiras formas de organização de espaço apareceram nos assentamentos neolíticos de Sesklo e Dimini, em Volos.

O círculo e o quadrado apareceram ao mesmo tempo.

Perto da aldeia de Elliniko em Argolida existe um edifício de pedra que parece uma pirâmide. Inclusive, pesquisas recentes mostraram que é um dos edifícios mais antigos do mundo.

Esta é a Pirâmide de Elliniko que data de 2.720 aC, ou seja, ainda mais antiga que as pirâmides egípcias!

‣ A arquitetura durante a civilização das Cíclades (antes de 3050 aC-1100 aC)

O assentamento pré-histórico de Skarkos, em Ios.
Arquitetura das Cíclades: o assentamento pré-histórico de Skarkos, Ios.

Durante o terceiro milênio, a civilização das Cíclades floresceu na Grécia.

Neste período, assentamentos organizados apareceram pela primeira vez no país.

Além disso, a riqueza mineral das ilhas ajudou na produção das ferramentas que serviram para construir as edificações.

No 2º milênio, as construções ainda eram de pedra, porém tornaram-se mais complexas e imponentes.

Após escavações em Skarkos de Ios e Agia Irini de Kea, ficou claro que já em 2600 aC. havia nas Cíclades casas de planta retangular de alvenaria extremamente elaboradas.

Inclusive muitas vezes de dois andares e possuíam até canos de esgoto.

‣ A arquitetura durante a civilização minoica (3.000 – 1.420)

Arquitetura Grega: Palácio de Knossos
O Palácio de Knossos.

Antes de tudo, vamos começar com o fato de que a civilização minoica foi a primeira civilização avançada da Europa.

Inclusive isso pode ser percebido pelos conjuntos de edifícios de grande arquitetura que ela deixou como legado.

Além disso, é notável por seus palácios grandes e ornamentados, de até quatro andares, com intrincadas redes hidráulicas e murais.

Os primeiros edifícios referidos como “palácios” foram construídos em Knossos, Malia, Zakros e Phaistos entre o período de 2.000 a 1470 a.C.

Arquitetonicamente, os palácios são estruturas monumentais dispostas em torno de um pátio central, com um pátio oeste pavimentado e técnicas de construção sofisticadas, como pilares de pedra.

Além disso, as descobertas de cerâmica multicolorida em Kamares revelaram as relações comerciais com potências importantes do Mediterrâneo, como o Egito.

Vários elementos da arquitetura grega minoica sobrevivem até hoje devido à mitologia grega.

Um grande exemplo é o Labirinto do Minotauro que o arquiteto mítico Dédalo construiu a mando de Minos.

Hoje, frequentemente, emprega-se o termo “labirinto”  para denotar um edifício com corredores complexos que tornam difícil ou impossível sair dele. Assim como qualquer arranjo semelhante de estradas ou galerias.

A arquitetura durante o período micênico (1.600 – 1.100)

Arquitetura micênica: Tumbas Abóbadas de Micenas, Tesouro de Atreu
A tumba abobadada em Micenas, conhecida como o tesouro de Atreu, tinha a maior cúpula da antiguidade, depois do Panteão.

A arquitetura micênica é famosa por suas cidadelas fortificadas, que incluem palácios e monumentos funerários.

As mais famosas estão localizadas em Tírintha, Micenas e Gla da Beócia, em Larissa de Argos e Midea de Argólida, bem como em Atenas, no local da posterior Acrópole.

Os gregos do primeiro milênio ficaram maravilhados ao ver as ruínas das cidadelas micênicas e atribuíram sua construção aos Ciclopes.

Daí veio a caracterização das paredes micênicas como paredes ciclópicas.

No entanto, os famosos túmulos micênicos abobadados é que roubam a cena.

O número total de tumbas abobadadas encontradas na Grécia continental é de 120.

Destas, as 14 maiores são consideradas conquistas arquitetônicas significativas, já que as abóbadas enfrentaram sérios problemas estáticos e muitas desabaram.

Por fim, uma das tumbas abobadadas mais importantes é o Tesouro de Atreu, em Micenas.

A arquitetura da era geométrica (1.100 – 800)

Arquitetura grega geométrica: modelo de argila de um templo.
Um dos poucos achados que sobreviveu da era geométrica foi esse modelo de templo em argila.

Também recebe o nome de Idade do Ferro ou Idade das Trevas, pois não há fontes diretas a respeito dela, além das Epopéias Homéricas (Ilíada – Odisséia).

Embora haja fortes sinais da tradição micênica, as fontes são mínimas para tirar mais conclusões.

Centros importantes dessa época são Argos, Esparta, Atenas, Iolkos, Lefkandi, Knossos e Ialyssos.

No entanto, os assentamentos em melhor conservação são Emporios em Chios e Zagora em Andros.

Além disso, o maior edifício monumental do início da Idade do Ferro, descoberto no mundo grego, fica em uma colina chamada Toumba.

É um edifício arqueado, com cerca de 47 m de comprimento e 10 m de largura. Hoje recebe o nome de o “Herói de Lefkandi”, que provavelmente data de meados do século X.

A construção possuía uma colunata externa de madeira. Dentro, na sala principal, foram encontrados dois túmulos, de um homem e uma mulher.

Os restos mortais foram cercados por ricos presentes fúnebres, alguns dos quais foram importados do Oriente, bem como sepulturas de cavalos.

Por fim, este edifício é interpretado como tendo sido a casa de um senhor local, que após a sua morte se tornou um herói e foi coberto por um monte.

A arquitetura durante a Idade Arcaica (800 -479)

Arquitetura Grega Arcaica: O Templo de Apolo em Delfos
O Templo de Apolo em Delfos.

Antes de mais nada, a era arcaica foi a era das buscas espirituais e da formação da cultura grega antiga.

Em tempos arcaicos, surgiram dois estilos arquitetônicos básicos: o dórico e o jônico.

O Panteão Grego se tornou comum em toda a Grécia e os gregos antigos começaram a construir templos para honrar seus deuses.

As cidades-estados gregas investiram recursos significativos na construção de templos, pois competiam entre si não apenas em termos estratégicos e econômicos, mas também em sua arquitetura.

Já no final do século 7, a maioria dos grandes edifícios monumentais eram feitos inteiramente de pedra.

O desenvolvimento da arquitetura em pedra e em grande escala foi uma conquista técnica importante, que os gregos relacionaram com a ação de dois irmãos vindos de Orcômeno, em Beócia: Agamedes e Trofônio, filhos do rei Ergino.

Além disso, de acordo com um hino escrito por Homero no século 6 aC., o primeiro templo de pedra de Apolo em Delfos também foi obra dos dois irmãos.

Por fim, as características da arquitetura da época são as colunas altas, os detalhes impressionantes, a simetria, a harmonia e o equilíbrio.

A arquitetura na Idade Clássica (479-323)

Partenon, Acrópole, templo grego em Atenas, Grécia.

 

Durante o período clássico, a arquitetura grega atingiu seu auge.

O termo “clássico” representa as conquistas alcançadas durante esse período.

Especialmente no século 5, Atenas experimentou grande glória sob a liderança de Péricles.

Esta foi a era que ficou para a história como sendo a idade de ouro de Péricles.

O Parlamento, o Supremo Tribunal Federal e o Teatro são algumas das obras arquitetônicas mais importantes de Atenas.

Sem dúvida, no entanto, o Partenon é o monumento que até hoje causa admiração em todo o mundo.

Além disso, outras conquistas importantes dessa época foram o templo de Poseidon em Sounion e Apollo, na empena ocidental do Templo de Zeus em Olímpia.

Além disso, aqui começou a construção de um novo tipo de edifício, como os circulares com as cúpulas.

Os arquitetos agora violavam as regras de harmonia e moderação!

Passaram então a compor com mais liberdade, combinando alguns elementos dos estilos dórico e jônico, enquanto usavam amplamente um novo tipo de capitel, que mais tarde foi chamado de Ritmo Coríntio.

A arquitetura durante os anos helenísticos (323-146)

Arquitetura do período helenístico: Pérgamo.
Pérgamo na antiguidade era uma cidade rica com grandes construções de arquitetura grega, como o famoso Altar de Pérgamo, que existe até hoje.

Durante a era helenística, era evidente como os reis usavam a arquitetura para promover a sua riqueza.

Foi a época em que Alexandre, o Grande, conquistou quase todo o mundo.

Além disso, 3 novos grandes centros urbanos gregos estavam se desenvolvendo no Oriente, Antioquia, Alexandria e Pérgamo. Nessas cidades houve a construção de edifícios que permanecerão para sempre na história.

O monumento que mais se destacou pela arquitetura foi o Farol de Alexandria, uma torre enorme com uma chama acesa no topo.

A sua construção ocorreu em uma ilha chamada Faros. A torre levou o nome da ilha e assim, mais uma vez, os gregos inventaram algo que ainda hoje é usado, dessa vez na navegação.

Também naquela época, ocorreu a construção do mítico Colosso de Rodes, na ilha homônima da Grécia.

Inclusive, estas são duas obras de arte incluídas nas 7 maravilhas do mundo antigo.

Por fim, durante os anos helenísticos, muitos grandes templos e obras de arte foram construídos, como o Santuário de Atena em Lindos e duas das mais famosas exposições da Grécia antiga que agora estão no exterior, a Vitória de Samotrácia e o altar de Pérgamo.

A arquitetura grega durante o período romano (146-330)

Arquitetura greco-romana: Antiga Ágora Atenas.
O mercado romano em Atenas.

O período helenístico chegou ao fim após o domínio do Império Romano na Grécia.

No entanto, os nobres romanos ficaram tão impressionados com a arquitetura grega que contribuíram para sua preservação nos séculos seguintes.

Os elementos da arquitetura grega mais usados ​​pelos gregos do que pelos romanos eram o estilo coríntio.

Mais tarde, os romanos formaram um novo tipo de capitel que combinava elementos do estilo coríntio e do estilo jônico mais antigo.

Hoje, muitos edifícios romanos notáveis ​​da arquitetura grega são preservados em lugares que pertenceram ao Império Romano.

Alguns dos edifícios romanos mais importantes da arquitetura grega são o Odeão de Herodes Ático, ou Herodion, a biblioteca de Adriano, o mercado romano de Atenas e o mercado romano de Thessaloniki.

A arquitetura grega em Bizâncio (330-1453)

Arquitetura Bizantina: Hagia Sophia, Istambul
A Hagia Sophia (Santa Sofia) em Constantinopla é a maior conquista da arquitetura bizantina.

Após a queda do Império Romano, a civilização bizantina, uma continuação do Império Greco-Romano, se desenvolveu.

Bizâncio, ou Bizantina, foi uma antiga colônia grega fundada nas entranhas da Baía do Chifre e do Estreito de Bósforo, na área onde Constantinopla está hoje.

Durante o reinado do imperador Teodósio, o cristianismo se espalhou por Bizâncio.

Este evento teve o maior impacto na arquitetura grega depois que Teodósio ordenou a demolição ou vedação de santuários pagãos.

E então, a arquitetura bizantina se desenvolveu, principalmente em relação à construção de majestosos templos cristãos, como a Igreja de Hagia Sofia em Constantinopla. Embora hoje tenha sido convertida em mesquita pelos turcos, ela continua sendo o símbolo da Ortodoxia.

No entanto, a maioria dos monumentos bizantinos que ainda existem podem ser encontrados em Thessaloniki.

Por fim, a arquitetura bizantina trouxe à tona a cúpula que ainda hoje faz parte da construção de vários templos modernos.

A arquitetura da Grécia Moderna ou Contemporânea (1821 até o presente)

Arquitetura neoclássica: Academia de Atenas com colunas jônicas.
Arquitetura neoclássica: Academia de Atenas com colunas jônicas.

Após os anos sombrios do domínio otomano com a libertação da Grécia, a arquitetura grega moderna tentou combinar a arquitetura grega antiga com a europeia ocidental.

A arquitetura do século 19 de Atenas e outras cidades da Grécia foi influenciada principalmente pela arquitetura neoclássica.

Um dos edifícios modernos mais importantes é a Grande Trilogia Ateniense, que inclui a Biblioteca Nacional, a Universidade e a Academia de Atenas. São edifícios neoclássicos do século 19 que seriam invejados pelos gregos mais antigos.

Outros edifícios de arquitetura grega moderna que valem a pena ver são a residência do Rei Otto em 1843, que foi construída na colina de Boubounistra para enfrentar a Acrópole. Hoje, o Parlamento grego está alojado lá. Dos edifícios de Thessaloniki destaca-se a Sala de Concertos localizada na praia de Nea.

A nova Arquitetura das Cíclades

Hoje na Grécia, a arquitetura que se destaca e é mundialmente conhecida é a nova arquitetura das Novas Cíclades.

Ela tem como tema as casas brancas com janelas azuis ou outros tons, igrejas com cúpulas azuis ou vermelhas, becos pavimentados de branco e moinhos de vento tradicionais.

Inclusive, as igrejas caiadas de branco com uma cúpula azul são uma das características da nova arquitetura das Cíclades que simboliza as cores da bandeira grega.

Por fim, esta arquitetura, em combinação com os grandes monumentos históricos, transformaram as Cíclades no destino mais popular da Grécia.

 

você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este website utiliza cookies para tornar sua experiência ainda melhor! Assumimos que você está de acordo, mas você pode não aceitar caso prefira. Aceitar Ler Mais